As Águas Não São Impetuosas

Teste agora Assinatura sem compromisso. Cancele quando quiser.

Sinopse

O NOVO ROMANCE DE RÉGIS DE OLIVEIRA “Estranho, pensei. Pessoal mais esquisito. A mulher mal me olhou. Este aqui parecia olhar para o horizonte. Pouco afável. Respondeu o que foi perguntado. Deu poucas explicações e fechou a porta. Será que tem tanta coisa para fazer?” Um homem visita a cidade onde cresceu em busca de rever um amigo de infância. Apesar de carregar a imagem de bem-sucedido – não endinheirado, mas aparentemente bem-resolvido –, ele nota nos olhares certo preconceito, mais escancarado do que quando era criança. Ele é mulato. Em “As águas não são impetuosas”, Régis de Oliveira promove um importante mergulho na solidão e na condição humana, repleto de alegorias, metáforas e significados sub-reptícios, construindo um cenário onírico em que a realidade e o sonho podem se confundir, sem deixar de lado o tema central: a desigualdade e o preconceito escancarado em nossa sociedade.